sexta-feira, 28 de julho de 2017

TRANSVERSAL




(homenagem ao poeta transversal)

Transfira o mar para dentro de si
Ria à brisa a inflamar  tripulantes,
Ande leve  em  nuvens flutuantes
Netuno e Júpiter estão logo ali!
Seja de tua nau o timão pulsante
Verseje sobre o sensível colibri,
Espere o alvor das manhãs amante
Reflita à gélida mesmice tal  daqui,
Salte os degraus da paz rompante
Aporte à porta do que do  nada  ri
Leve (de)lírios, grãos de ti, os plante


****

Postar um comentário